Talento em forma de desenho

12

Talento em forma de desenho
Após uma visitinha à Filial  de Barro Preto do Racionalismo Cristão, em Belo Horizonte (MG), e um encontro com a presidente Lília Rodrigues de Paiva, conheci uns desenhos incríveis. A filha dela estuda desenho e é fera. Uma das ilustrações que me encantaram estampa esta edição do caderno (ver edição PDF). Não é linda? Combina direitinho com um assunto que já tratamos aqui mais de uma vez: a diversidade, o respeito à diferença e a união entre as pessoas. Um velho ditado  diz que a união faz a força. É o que mostra essa ilustração. Diferentes rostos, diferentes raças, diferentes credos… Um se apoiando no outro, vistos sob o ângulo feminino.


Olá, eu sou a Thab
Você vai me conhecer como Thab a partir de agora, mas o meu nome real é Thábada. Diferente, não é? Tenho 23 anos e curso Design Integrado na faculdade Fumec, em Belo Horizonte. Desde pequena tive muito contato com desenho animado e, naquela febre de “Cavaleiros do Zodíaco” dos anos 90, repetia o que minha irmã e primas mais velhas retratavam nas brincadeiras e desenhos. Desde então a paixão pelos traços e coloridos nunca mais passou. Gosto de pensar que o desenho em minha vida é uma extensão de quem eu sou, pois é a minha principal ferramenta. Muita gente me diz que queria ter o ‘dom’ do desenho, mas nunca conseguiu passar dos bonequinhos de palito. Calma, eu tenho dois conselhos incríveis para você que pensa assim. Primeiro: nunca desista dos seus sonhos (nunca!). E segundo: desenho nada mais é do que questão de prática. Então, se o seu sonho é ser um grande desenhista, comece hoje que, daqui há um ano (ou bem menos), você se tornará um. Pois desenhar é literalmente correr o risco.
Tharsila Prates
Jornalista, coordenadora de A Razão Criança
“Mostrei minha obra prima às pessoas grandes e perguntei se o meu desenho lhes dava medo. Responderam-me “Por que um chapéu daria medo?” Meu desenho não representava um chapéu. Representava uma jibóia digerindo um elefante. Desenhei então o interior da jibóia, a fim de que as pessoas grandes pudessem entender melhor. Elas têm sempre necessidade de explicações detalhadas.” Antoine de Saint-Exupéry